Revelamos aqui as causas e efeitos da insegurança pública e jurídica no Brasil, propondo uma ampla mobilização na defesa da liberdade, democracia, federalismo, moralidade, probidade, civismo, cidadania e supremacia do interesse público, exigindo uma Constituição enxuta; Leis rigorosas; Segurança jurídica e judiciária; Justiça coativa; Reforma política, Zelo do erário; Execução penal digna; Poderes harmônicos e comprometidos; e Sistema de Justiça Criminal eficiente na preservação da Ordem Pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

terça-feira, 7 de junho de 2011

PROTESTO DOS BOMBEIROS - DEPUTADOS TEMEM MOBILIZAÇÃO NACIONAL


Parlamentar diz que deputados federais temem que movimento de bombeiros do Rio se torne nacional - 07/06/2011 às 12h03m; Ana Claudia Costa, Vinícius Lisboa e Waleska Borges

RIO - O presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, em Brasília, deputado Mendonça Prado (DEM), disse que está preocupado com o fato de a manifestação dos militares do Rio estar tomando uma dimensão nacional. Ele afirmou que deputados temem que movimentos como esse possam atingir outros estados. O político está, na manhã desta terça-feira, na manifestação dos Bombeiros na escadaria da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Ele vai a Niterói ver como está a situação dos presos e, em seguida, tentará uma audiência com o governador Sérgio Cabral para tentar resolver o impasse. Mendonça Prado acredita que o governador será receptivo e vai tentar resolver o que chama de "problema inusitado de quase uma corporação inteira presa" da melhor maneira possível.

Os 439 bombeiros presos na última sexta-feira ganharam o apoio de outras categorias e até de fora do Rio. Domingo será realizada uma passeata pela orla de Copacabana. Na quinta-feira, pescadores farão uma "barqueata" para apoiar as reivindicações dos bombeiros. O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Sidney da Silva Patrício (PT), anunciou na segunda-feira, para os próximos dias, a chegada ao Rio de caravanas de bombeiros de outros estados.

Bombeiros raspam a cabeça em Niterói

Nesta terça-feira, parte dos 439 bombeiros presos no quartel de Charitas, em Niterói, raspou a cabeça em protesto, deixando o número 439 aparente. Os homens disseram que, apesar de detidos, continuam motivados para conseguir melhorias salariais.
- Estamos tranquilos. Nosso sufoco foi lá em Neves, em São Gonçalo. Estamos esperançosos de que o governador dê um aumento digno. Agradecemos à população e á todo Brasil pelo apoio que estamos recebendo - disse um dos militares presos.

Familiares dos bombeiros presos aguardam o início das visitas, que devem acontecer entre 13h e 17h. Cássia de Carvalho Vieira espera com os dois filhos e o cunhado Marcelo Andrade Vieira o momento em que poderá ver o marido. Com um bebê portador de Síndrome de Down no colo, ela conta:

- Meus filhos estão morrendo de saudade do pai. Estão super ansiosos para revê-lo.

O presidente da Comissão de Segurança e Assuntos de Polícia da Alerj, Zaqueu Teixeira (PT), visitou o quartel de Charitas e criticou o modo como os bombeiros estão sendo mantidos e também a forma pela qual o governo do estado está conduzindo as negociações.

- A Justiça não pode fechar os olhos para a prisão de pessoas num ginásio como se fosse um campo de concentração. O diálogo precisa ser retomado - disse Zaqueu.

Protesto na Alerj

No quinto dia consecutivo de protestos, cerca de 80 bombeiros continuam nas escadarias da Alerj fazendo protesto e pedindo a libertação dos 439 companheiros de farda que foram presos após a invasão ao quartel central da corporação. Nesta manhã, só um carro da Polícia Militar está de prontidão em frente à Alerj. Segundo o cabo Laércio Soares, a categoria gostou da forma positiva com que o novo comandante do Corpo de Bombeiros acenou para negociar, mas pede que ele acorde com o governador a liberdade de seus pares.Os bombeiros continuam distribuindo fitas vermelhas aos motoristas.

Servidores da saúde pública estão trabalhando nesta terça com fitas vermelhas nos braços em solidariedade aos bombeiros. Segundo a diretora de imprensa do Sindsprev/RJ, Clara Fonseca, em uma assembleia na noite desta segunda-feira, o Movimento Unificado dos Servidores Públicos lançou a campanha "Somos todos bombeiros", que exige a soltura dos bombeiros presos.

- A intenção é que os servidores trabalhem com uma camisa vermelha ou fita no braço. A nossa instituição dos bombeiros é uma das mais antigas do país e tem o profissional mais mal pago. A população do Rio respeita esses bombeiros que trabalham para salvar vidas e mereciam um tratamento mais digno dos governantes do nosso estado - disse Clara.

No Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, alguns servidores já aderiram à recomendação da assembleia. Eles colocaram fitas nos braços e em retrovisores dos carros.

De acordo com um guarda-vida, que não se identificou, todos que fazem protesto na Alerj ou estão de folga ou de férias. Ele disse que a escala nos postos de salvamento das praias está reduzida e só há um homem em cada posto, mas que a categoria tomou essa decisão sabendo que a demanda por atendimento nesta época do ano é baixa.

No início da manhã, bombeiros começaram uma manifestação na Estrada do Galeão, na Ilha do Governador. Segundo policiais militares do 17º BPM (Ilha do Governador), o protesto é pacífico. A manifestação deixa o trânsito lento na altura do Prezunic.
Na madrugada, um pequeno grupo de aproximadamente 15 pessoas passou a noite na Alerj, a terceira no local, conversando, enquanto alguns outros dormiam em barracas.

Um comentário:

SRM disse...

o povo Brasileiro devia apoiar melhores condições de trabalho para os bombeiros, as policias, o BOPE, o EB... E outros...
Ao invés de ficar colocando uns contra os outros...