Revelamos aqui as causas e efeitos da insegurança pública e jurídica no Brasil, propondo uma ampla mobilização na defesa da liberdade, democracia, federalismo, moralidade, probidade, civismo, cidadania e supremacia do interesse público, exigindo uma Constituição enxuta; Leis rigorosas; Segurança jurídica e judiciária; Justiça coativa; Reforma política, Zelo do erário; Execução penal digna; Poderes harmônicos e comprometidos; e Sistema de Justiça Criminal eficiente na preservação da Ordem Pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

UMA NOVA DITADURA VEM AÍ

ALERTA! O Brasil está rumando para um cenário sombrio e devastador onde qualquer profeta político poderá levantar sua voz para erguer uma massa de brasileiros em direção a um novo regime totalitário. Veja, analise e reflita sobre os indicadores abaixo:

- A carga tributária está cada vez maior e vem criando uma legião de pobres e endividados;

- Com recordes de arrecadação de impostos, a República brasileira não investe em saúde, educação, segurança e moradia, mantendo estas áreas deficientes, precárias e sucateadas;

- A distribuição de dinheiro público é farta e sem contrapartidas;

- O assistencialismo exacerbado está criando uma massa de desempregados e sem vontade de trabalhar;

- As emendas estão comprando a ética e a vigilância dos parlamentares;

- A classe política está tão desacreditada que se mantém em último no nível de confiança;

- A justiça é centralizada em poucos juízes numa corte política;

- A Constituição Federal só tem direitos, cidadania e privilégios, desprezando deveres, civismo e o rigor da lei. Já está toda remendada, com princípios alterados e dispositivos com interpretações tendenciosas.

- As Forças Armadas estão sendo direcionadas para a segurança pública;

- A Polícia Federal está recebendo mais atribuições de segurança pública, uniformizada, dirigida e ampliada em efetivos para missões fora do contexto investigativo;

- Foi criada uma força nacional de segurança para enfraquecer as polícias estaduais, tirando efetivos, criando divergências e estimulando uma concorrência de atribuições e espaço;

- Está sendo fortalecida a polícia rodoviária federal (uma polícia de trânsito) ocupar espaço das polícias estaduais e atuar como polícia repressiva;

- As forças policiais estaduais estão sendo sucateadas, desvalorizadas, mal pagas e divididas partidariamente;

- As polícias militares estão sendo desmilitarizadas, mal pagas, partidarizadas e perdendo valores como hierarquia, disciplina, respeito e canais de comando;

- O Ministério Público é fraco e inoperante, pois não está devidamente estruturado, não participa das corregedorias, suas denúncias contra poderosos são bloqueados e seus esforços processuais não têm continuidade na justiça;

- A defensoria pública praticamente não existe nas grandes cidades e é ausente nos municípios de médio e pequeno porte para garantir a defesa dos menos aquinhoados;

- Os presídios estão superlotados por falta de julgamento dos presos, ausência de defensores e má vontade dos governantes em aplicar as políticas prisionais previstas em Lei, fazendo com que bandidos sejam libertados e fiquem nas ruas para aterrorizar o povo e aumentar o encargo e retrabalho das polícias;

- Penas de morte são aplicadas dentro dos presídios e nas ruas por facções, assaltantes, passionais e justiceiros, tudo na mais completa impunidade;

- A educação é deficiente e não prepara o povo para a cidadania, para os deveres, para a postura política e para a autonomia no mercado de trabalho;

- A saúde pública é uma vergonha, já que morrem pessoas nas filas, nos cadastros de espera, nos ambulatórios sem condições e no deslocamento em busca de socorro. Rios de dinheiro são desviados pela corrupção e por via legal. A impunidade premia os governantes que não controlam os investimentos e nem cumprem a cota orçamentária prevista em lei;

- Os esforços dos instrumentos de prevenção, coação, justiça e cidadania são inutilizados por uma justiça cheia de mazelas e com suporte na insegurança jurídica;

- Há um desalento enorme na sociedade brasileira que já aparecem manifestações defendendo o retorno da ditadura militar, alegando impostos menores e melhores condições de segurança, saúde e educação.

- Onde não há governo e a justiça é benevolente, a nação perece diante de oportunista, bandidos, rebeldes e justiceiros.

RESULTADO: Com poderes farristas e gananciosos, instrumentos de coação amordaçados, carga tributária elevada e justiça morosa e tolerante que fomentam a multiplicação de sentimentos anticívicos, indignação, impotência e descrédito no Estado, a nação brasileira se abre para o caos, pronta para ser dominada e disciplinada. Basta acender o pavio, pois a pólvora já está seca para quem quiser aproveitar.

Um comentário:

Lucio disse...

Concordo com você e acrescento que com esse novo plano de incentivo a indústria, parece que o governo possui informações sobre o ambito internacional que irão afetar o planeta e o Brasil, desta forma, aumentar a produtividade nacional tem mais a ver com garantir elementos básico internos e quando tudo estiver normalizado, os impostos subirão novamente. Um plano de contingência bem elaborado e no será aplicado no momento certo, um novo governo totalitário se fará neste país pois estamos cercado por governos ditatoriais que nos darão o apoio que precisamos.